Old Dragon - Galerinha

A chamada ao leste

Onde não há tempo para descanso

E mal tinham sido apagados os focos de incêndio em Passo do Carvalho, ainda havia a possibilidade das hostilidades não acabarem com a chegada das tropas de Conde Kahrn e de Portão do Inverno, comandada por Arthur Kälte. Ambos os líderes trocaram farpas e aos olhos da Guilda da Curtição, parecia que se conheciam de antes da guerra. Felizmente, não houve mais problemas. Kahrn pediu desculpas em nome do rei Isaris Kestantides pelo comportamento do Barão Felks Teocrates e que as fronteiras com os Reinos Setentrionais seriam respeitadas.

Novas e velhas buscas

Kahrn reconhece o trabalho da Guilda da Curtição no salvamento dos cidadãos de Passo do Carvalho e os convida a retornarem à cidade de Belars , pois os problemas nas Terras Marginais estavam aumentando e precisava da ação deles. Com os problemas causados por Felks, ele ficaria responsável por pacificar a região de Belars, tendo que lidar com os focos de revolta em Piolt e Rivels, a criminalidade descontrolada em Hamming.

O guerreiro revela ainda que a situação em Volstagrad também não anda bem, com o rei Isaris Kestantides tendo que lidar com pequenas revoltas na capital Lariana. O povo, cansado das guerras e com fome, antes apoiador das invasões a Belars e Asgariard, agora está se tornando contra. O front contra Asgariard, onde Kahrn preferia estar mas havia sido afastado após a conquista de Belars, enfrenta problemas.

Antes do conde partir, o elfo Vanael aproveita para perguntar quem comandou o ataque a Daenor e os motivos do ataque. Tudo o que ele sabia era que foi um saque em busca de armas e magias élficas, comandado por um homem risonho, Chimay Urquell. Baden Urquell o reconhece como um dos magos de sua família com quem não se dava bem.

E finalmente, a pessoa que Latiffa Laqüiin procurava aparece: Phus Bearern, o druida de Passo do Carvalho. Ele se revela como o corvo que os guiou para fora de Passo do Carvalho, em direção às ruínas de Kurfalduhr, onde os goblins estavam reunidos. O druida reconhece em Latiffa o potencial para ser uma druidisa, citando a linhagem sanguínea da clériga que a daria a facilidade de vestir a pele de animais, mas que ainda não estava pronta.

Perguntado sobre os sonhos proféticos de Yusuke Suzuki, os olhos do druida se abrem. É possível notar que pensamentos muito rápidos lhe passavam pela alma, como que considerando diversas possibilidades, e sua única resposta, antes de tomar a forma de um corvo e deixar a vila, foi: “Procurem o oráculo de Talena, no refúgio élfico de Mae Dringlor.”

Sonhos de Muriel, perigo na viagem

Muriel tem um sonho com sua mestra Lady Ofélia. A maga ordena a sua discípula que visite uma mansão nas cercanias de Belars, onde ela teria que resolver um pequeno problema que poderia ameaçar a região. Sem dar mais detalhes, a mestra permite que a discípula acorde de seu sonho.

Antes de partirem em direção ao sul, Riniades os agradece por tudo que fizeram, mas que os problemas com Volstagrad ainda não estavam resolvidos. Dá a Baden, Vanael e Bastian as últimas armas produzidas por Cruac Dracotemor: uma espada bastarda, um arco reforçado e uma adaga, produzidos com alta qualidade que somente o senhor da Forja do Dragão conseguiria.

O anão Bortur Granito-Protetor despede-se da Guilda, ficando em Passo do Carvalho para começar os trabalhos de exploração das ruínas de Kurfalduhr. A guerreira mercenária Delyth e o novo companheiro de Baden, o goblin Nilbog Comegatos, seguem em viagem.

A viagem em direção a Hamming não ocorre sem problemas: no caminho, são atacados por um bando de nove assaltantes de estrada, dos quais apenas dois conseguem fugir. Mas o pior estaria quando Baden vai ensinar Nilbog a caçar javalis, junto com Latiffa.

Entrando na mata atrás de rastros de javali, acabam se descuidando e quando percebem, estão cercados por mortos-vivos. Os zumbis e esqueletos portam trajes de bandidos de estrada, possivelmente mortos a muito tempo, mas não é possível ter certeza de tais coisas no meio do calor do combate.

Latiffa toca seu apito, chamando a atenção do resto do grupo que havia ficado no acampamento. Quando finalmente conseguem chegar aos três companheiros que haviam partido em caça, encontram um Nilbog caído, com um ferimento grave no peito, causado pela espada de um dos esqueletos, e uma Latiffa quase sem forças, com vários ferimentos de mordida dos zumbis.

Com o último dos mortos-vivos eliminado, fecham os ferimentos de seus companheiros e levantam acampamento em direção a Hamming, chegando à cidade ao final da tarde, cansados.

Comments

bruno_baere bruno_baere

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.